terça-feira, 6 de setembro de 2016

O milagre da multiplicação - Teatro com fantoches

5 + 2 = 7 (Jo 6:1-15) - O milagre da multiplicação

Fantoches-A multiplicação


Amiguinho, hoje Jesus nos fala sobre a multiplicação dos pães.

Aquele povo que seguia Jesus estava com muita fome, pois já havia passada a hora de comer.
Mas mesmo assim não iam embora, com medo de não encontrar mais com Jesus.
Fantoche B: E ficaram todos ali? Com fome?
Fantoche A: É ficaram! Tinha que aparecer alguém! Mas tinha só um cesto com cinco pães e dois peixes. Para dividir com mais de cinco mil pessoas!
Fantoche B: Puxa! Acho que sei como Jesus repartiu?
Fantoche A: Como?
Fantoche B: Ué! Eles ficaram brincando de: dois ou um... Já! Aí quem ganhou ficou com o cesto! Estou certo?
Fantoche A: Mas é claro que não! Onde já se viu, e mesmo se eles ficassem brincando de dois ou um, até sair o vencedor eles morreriam de fome!
Fantoche B: Mas... Mas como foi então?
Fantoche A: Jesus pegou o cesto, orou agradecendo ao Papai do Céu pelo alimento e mandou que seus discípulos distribuíssem para as pessoas.
Fantoche B: Como? Se havia só sete coisas para comer? Só dava para sete pessoas? Cinco comeriam pão e duas peixe, estou certo?
Fantoche A: Certo na conta, mas errado na comida!
Fantoche B: Como assim?
Fantoche A: Os pães e os peixes haviam se multiplicado! Todos comeram o quanto queriam, pois tinha alimento de sobra! E ainda assim sobraram doze cestos cheios!
Fantoche B: Ai amigo! Você falou tanto em pão e peixe que me deu fome! Já sei! O que Jesus quer nos dizer na palavra de hoje!
Fantoche A: O que?
Fantoche B: Que devemos comer de tudo: pão, peixe, feijão, o cesto!
Fantoche A: Que isso! Cesto não é de comer! Temos sim que comer toda a comidinha que a mamãe prepara, mas não é só desta fome que Jesus está falando! Jesus deu pão para aquele povo que tinha fome, mas hoje tem pessoas não só com fome de comida!
Fantoche B: De que então?
Fantoche A: Hoje as pessoas têm fome de Deus!
Fantoche B: Que falta de respeito! Deus é o nosso Criador, não é de comer não! Que horror!
Fantoche A: Eu mereço! Quando eu falei de fome de Deus é que existem pessoas que não vem na igreja, não recebem Jesus, não oram, são tristes ou vivem emburradas e carrancudas e nem sabem o porque! Elas não tem Salvação.
Fantoche B: Mas como pode né! Não saber o porque andam tristes! Mas me diga uma coisa: Porque as pessoas andam tristes hein?
Fantoche A: Porque... Porque não tem Jesus no coração né? Jesus não é nossa alegria? Se não procuramos sempre nos alimentar da palavra de Deus e de oração, não alimentamos a nossa alma com coisas boas, ficamos assim tristes!
Fantoche B: Ah! Agora entendi! Hoje ele nos diz que precisamos alimentar nossa alma. E também ajudar quem tem fome da palavra de Deus.
Fantoche A: Isso aí!
Fantoche B: Mas... Como eu faço isso? Como eu vou alimentar quem tem fome e sede da palavra de Deus?
Fantoche B: Ah! Eu acho que já sei! Para alimentar quem tem fome da palavra de Deus, eu faço uma sopa de Bíblia! Vai ficar uma delícia, mas sem cebola é claro! Eu não gosto de cebola!
Fantoche A: Preste atenção! Jesus deu de comer à multidão, para que eles entendessem que ele tinha outro alimento muito melhor para dar as pessoas.
Fantoche B: Era melhor que os peixinhos e o pão? Já sei era sorvete! Depois se todos comessem tudo direitinho iriam ganhar sorvete, não é?
Fantoche A: Não! Não confunde as coisas! O alimento melhor que Jesus tinha para dar era a palavra de Deus. E hoje Jesus nos chama a ser novamente como seus discípulos; que serviram o povo com o alimento do cesto. Mas hoje Jesus nos pede para servir não só dando comida para quem tem fome, mas que nós saibamos distribuir o pão da justiça, da bondade, da paz, do amor... A todos.
Fantoche B: Ah! Agora entendi: Jesus pede para nós falarmos de sua palavra para aqueles que não entendem e precisam conhecer a Deus! Vou agora mesmo na rua de casa falar de Jesus para o Luizinho, sabe ele não vem à igreja! E estava bem tristinho nestes dias.
Fantoche A: Hei! Espere por mim!
 


Fonte Web: Monte Sião

NÃO HÁ AMOR MAIOR - Teatro com Fantoches

NÃO HÁ AMOR MAIOR


Teatro com fantoches

Preconceito e racismo são expostos e combatidos ao mesmo tempo que é falado do evangelho.
Zeca é branquelo, Zico é preto.
Zeca que evitar chegar perto do Zico, Maria intervem...
Deus ama tanto um quanto o outro...

ZICO: Oi, Maria! Olha só a bola novinha que eu ganhei! Vocês,não querem jogar um pouquinho?
ZECA: Xi! Ficou tudo escuro por aqui! Sai pra lá com essa bola, seu carvão. Ninguém quer brincar, não.
MARIA: Zeca, não precisa falar assim com ele. Você é tão mau! O Ziquinho é meu amigo.
ZECA: Eu falo mesmo, eu não gosto de menino preto!
MARIA: Não liga não, Ziquinho!
ZICO: Eu não ligo não, eu sou pretinho mesmo. Ainda mais preto é o coração dele.
MARIA: Quero saber o que o Ziquinho fez com você.
ZECA: Não fez nada, mas eu não gosto dele. Vamos brincar, Maria?
MARIA: Zeca, eu não vou brincar com você! Vou brincar com o Ziquinho, tchau!
(ZICO E MARIA SAEM DE CENA, E ZECA FALA SOZINHO)
ZECA: Maria, volta aqui! O meu carrinho é mais bonito, vamos brincar!
(ZECA SAI DE CENA, ENTRAM ZICO E MARIA)
ZICO: Pôxa, Maria, você é muito bacana. Você sabe ser amiga de verdade.
MARIA: O Zeca precisa aprender a amar as pessoas como elas são. Você não ficou zangado não né?
ZICO: Não. Eu sei que Deus me ama assim como eu sou. Se ele quisesse, poderia me fazer diferente, mas ele achou que eu iria ficar lindinho assim, queimadinho
MARIA: É mesmo! Sabe, o importante não é a cor, mas o coração. As pessoas precisam ter um coração bom.
ZICO: Vamos brincar?
MARIA: Vamos! Que bola bonita heim! (saem de cena, entra o Zeca)
ZECA: Maria, Mariaaaaaaaa!
MARIA: oi, Zeca! É você que está me chamando?
ZECA: Puxa Maria! Você não quis brincar comigo?
MARIA: Olha aqui, Zeca, eu não gostei nada do que você falou do meu amigo Ziquinho. Quero lhe dizer que você precisa amar as pessoas do jeito que elas são.
ZECA: Eu amo! Só que eu não gosto de pretinho.
MARIA: Amar é amar a todos! E você já pensou se fosse você que estivesse no lugar dele e não gostassem de você? Como se sentiria?
ZECA: Não quero pensar nisso agora.
MARIA: Você precisa pensar, sim. Se você não quiser ser amigo dele, eu não serei sua amiga. Zeca, foi Deus quem fez todas as coisas. Ele fez você brancão porque achou que você fica mais bonito assim. Fez o Ziquinho pretinho, porque achou mais bonitinho. Deus não faz distinção entre as pessoas. Ele ama a todos de uma maneira especial. Não existe maior amor. Zeca,sabe de uma coisa...
ZECA: o que Maria?
MARIA: No céu só tem uma porta para entrar.
ZECA: Uma porta?
MARIA: E, uma porta. E já pensou quando você for entrar naquela porta e não quiser ver o Ziquinho? Você não vai entrar, porque ele estará lá dentro! Então, vai ficar do lado de fora?!
ZECA: É, eu não tinha pensado nisso.
MARIA: Não há maior amor que o de Deus por nós. Mas, Zeca, você precisa pedir perdão ao Ziquinho e a Deus. O Senhor o ensinará a amar o próximo, porque aquele que não ama não conhece a Deus. Deus é amor: E o seu coração precisa ficar  branquinho, sem pecado.
ZECA: Que grande amor Deus tem por nós Maria!
MARIA: E não há maior amor que o dEle, a ponto de dar o seu único filho, Jesus, para morrer por nós na cruz e nos salvar. Ele não morreu só por mim, mas por todos.
ZECA: Aí vem o Ziquinho.
MARIA: Olha lá, Zeca! Só quero ver!
ZECA: Tá bom, Maria! Eu agora entendi e acho que você tem razão. Eu preciso amar o Ziquinho, senão o meu coração estará cheio de pecados e não poderei ir para ,o céu.
ZICO: Oi Maria! Tudo bem por ai?
MARIA: Tudo, Ziquinho! O Zeca quer falar com você.
ZICO: Esse branquelo quer falar o quê comigo? Ele quer me ofender?
MARIA: Calma, Ziquinho, ele quer lhe pedir desculpas.
ZICO: Pedir o que? Desculpas?
ZECA: É, desculpas! Eu preciso aprender a amar as pessoas, mas nao me chama de branquelo que eu não gosto.
MARIA: Viu, Zeca, assim como não é bom que as pessoas caçoem de nós, não devemos caçoar de ninguém. Ser negro não édefeito!
ZICO: Zeca, eu já te perdoei. Desculpe-me também por te chamar de branquelo.
ZECA: Ah! Ah! Ah! Zico, eu tão feio que sou e tenho uma pessoa que me ama assim como sou, mesmo chamando as pessoas de feias, sem olhar os meus defeitos...
ZICO: Ainda bem que temos alguém que nos ama muito, não é?
MARIA: Não há maior amor.
Música:
 

DEUS TE AMA E EU TE AMO
D             G              D             A
Deus te ama e eu te amo, e assim devemos viver.
D             G            D     A        D
Deus te ama e eu te amo, vivamos sempre assim.

EU TENHO UM AMIGO QUE ME AMA
   E                     B7      E
Eu tenho um amigo que me ama, me ama, me ama,
                                  B7       E
Eu tenho um amigo que me ama, seu nome é Jesus.
     A      E        B7       E
/: Jesus! Jesus, Seu nome é Jesus: /

ZEZÉ E EMÍLIA EM: DESOBEDIÊNCIA

Teatro com Fantoches: Desobediência

Fantoche cristão para crianças

Zezé : Emília ! Sabe o que eu comi ? Um picolé ! Bem geladinho !
Emília : Hum, que gostoso. Eu também estou com vontade !
Zezé : Mas já acabou ! A mamãe disser que era para comer só amanhã, mas eu estava com tanto apetite !
Emília : Zezé ! Você desobedeceu sua mãe ! Porque ela queria que você comesse só amanha o picolé ?
Zezé : É porque eu estava com dor de garganta, mas eu já estou bonzinho, Emília, e não ia esperar até amanhã !
Emília : Zezé, Zezé ! As ordens do papai e da mamãe são para o nosso bem! Você sabia que desobedecer é pecado ?
Zezé : Eh ! Claro! É ! mais foi só um picolezinho....
Emília : Adão e Eva também comeram só um pouquinho da fruta do conhecimento do bem e do mal, desobedecendo a Deus e trazendo o pecado ao mundo
Zezé : Eles podiam comer de todas as frutas, menos da árvore do bem e do mal, né, Emília ?
Emília : Pois é ! Você também podia comer todas as comidinhas gostosas que sua mãe faz, menos o picolé que deveria ser pra amanhã   !
Zezé : Ah! Emília ! Minha garganta esta voltando a doer ! Ai ! Ai ! Porque eu fui comer aquele picolé ?
Emília : Estão vendo, crianças ? Desobedecer é um pecado.
Deus e os nossos pais querem só o nosso bem, e quando desobedecemos, temos que sofrer as consequências. Olhe só o Zezé, a sua dor de garganta voltou !
Zezé : Ai! Ai! Vou voltar para casa, Emília e pedir perdão para minha mãe pela desobediência. Tchau !
Emília : Este Zezé ... Crianças, vocês aprenderam que a desobediência é pecado ? (Deixar as crianças responder) Eu vou até a casa do Zezé, ajudá-lo. Tchau !

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Teatro com Fantoches - Achei a Felicidade



Achei a Felicidade

Teatro de fantoches - Achei a felicidade

BETO: Olá, Margarida! Não tenho visto você. 
MARGARIDA: Estava de castigo, não pude sair. 
BETO: De castigo? O que você andou aprontando Margarida? 
MARGARIDA: Eu não estudei para a prova e as minhas notas não foram boas. 
BETO: E quanto você tirou? 
MARGARIDA: Dez, sem o um na frente 
BETO: Dez?! Sem o um na frente? Então você tirou zero? 
MARGARIDA: Fala baixo, ninguém precisa saber. 
BETO: Margarida, seu pai tem razão. Você precisa estudar mais e brincar menos, senão vai ser pior. Voce não vai passar de ano. Cuidado, Margarida! 
MARGARIDA: É, eu já pensei nisso e me arrependi de não ter estudado. 
BETO: Margarida! 
MARGARIDA: O que é, Beto? 
BETO: Você viu? 
MARGARIDA: Você viu o quê, Beto? O quê? Fala logo! 
BETO: Você viu o circo que chegou na cidade? 
MARGARIDA: Eu não, mas escutei um barulho de bandas tocando. 
BETO: Foi o circo que chegou na cidade. 
MARGARIDA: Beto, escuta só! Você está escutando alguém chorando? (ALGUÉM CHORA POR TRÁS DO CENÁRIO) 
BETO: Estou, de onde vem este choro? Vamos ver? (BETO E MARGARIDA SE ABAIXAM, SAEM RAPIDAMENTE E ENTRA O PALHAÇO CHORANDO) 
PALHAÇO: Buá! Buá! Buá! (BETO E MARGARIDA FALAM JUNTOS: “UM PALHAÇO CHORANDO!”) 
BETO: Oh, seu palhaço! Por que você está chorando? 
MARGARIDA: Eu achava que palhaço não chorava, só fazia palhaçadas. 
BETO: O que houve? 
MARGARIDA: É, vamos! Fale, o que houve? Qual é o seu nome? 
PALHAÇO: Sabe o que é… eu consigo fazer todo mundo feliz, mas eu sou tão triste. Atrás desta máscara. eu escondo a minha Infelicidade. 
MARGARIDA: Acalme-se seu, seu.. 
PALHAÇO: Paçoca. meu nome é Paçoca, Todos me chamam assim. 
MARGARIDA: Acalme-se, Paçoca, nós estamos aqui e queremos ajudá-Io. 
BETO: Qual é o seu problema? 
PAÇOCA: Ninguém pode me ajudar, eu fui ao medico e ele me deu um bocado de remédios e não resolveu meu problema. Procurei um amigo, e todos estavam ocupados. Ninguém pode me ajudar! 
BETO: Por que você está doente? 
PAÇOCA: Não, não estou, tenho muita saúde 
MARGARIDA: Está precisando de dinheiro? 
PALHAÇO: Não, eu sou muito rico. 
BETO: Já sei é advogado! 
PAÇOCA: Não. Eu quero alegria e ninguém pode me dar nem ajudar. Se pelo menos eu pudesse comprar, mas nem isso posso. 
BETO E MARGARIDA: Ah! Então é fácil 
PAÇOCA: Fácil, como fácil? Vocês sabem de alguma solução? 
BETO: Puxa, eu estava pensando que fosse um problema grave. 
PAÇOCA: É grave, pois faço as pessoas sorrirem, se divertirem e no entanto, por trás da minha máscara, sou tão infeliz. 
BETO: É fácil, Paçoca, você só precisa conhecer uma pessoa muito especial que se chama Jesus. 
PAÇOCA: Jesus! 
MARGARIDA: É, Jesus! Ele é o Príncipe da Paz, é a alegria que você tanto procura. Ele é o nosso Salvador! Vou cantar uma música para você. Escuta só, Beto, Vamos cantar aquele carinho que fala assim. 
Cristo é realidade Cristo é realidade Ele não é sonho “: Ele é real 
Ele é a paz, a alegria, 
O amor, Ele é a vitória (bis) Estou falando de Jesus Cristo
PAÇOCA: Que lindo! E isso que eu preciso! Como posso vê-lo? Como posso falar com Ele? 
BETO: Agora você não pode ver, porque Ele é Espírito, “. mas voce pode falar com Ele, pois nos ouve, e tudo pode fazer por você. 
MARGARIDA: A Palavra de Deus fala assim em João .14.1: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus”, .e em João 14.14 nos diz: “Se pedirdes alguma coisa .em meu nome eu o farei”. 
BETO: Sabe, Paçoca, Ele é como o vento. A gente não pode ver o vento, mas pode sentir. 
MARGARIDA: Quando deixamos Jesus tomar conta de nossas vidas, Ele cuida de nós, nos livra do perigo e nos dá a paz que tanto precisamos. 
BETO: Paçoca faz uma experiência com Jesus. Passe a conversar com Ele e fale pra Jesus onde é a sua dor. Ele é o Médico dos médicos, o nosso advogado e o nosso melhor amigo. Nunca nos desampara e nunca está ocupado. 
MARGARIDA: Jesus ama você, Paçoca, e quer lhe dar a paz que tanto precisa. Deixa Ele tomar conta de você? 
PAÇOCA: Eu deixo, eu deixo! 
BETO: Então, abaixe sua cabeça, peça perdão por seus pecados e que Jesus tome conta de você. 
PAÇOCA: Tá bom! (OS TRÊS ABAIXAM A CABEÇA E FAZEM DE CONTA QUE ORAM) 
PAÇOCA: Puxa! Estou me sentindo bem, parece que alguma coisa me modificou. Estou sentindo uma paz… Estou alegre. 
BETO: Que bom! Você encontrou a felicidade. 
MARGARIDA: Paçoca, vou lhe dar esta Bíblia. Ela vai ensinar a você como chegar ao céu e ver Jesus face a face. 
BETO: Leia com atenção, pois aí tem resposta para tudo que você quiser. 
PAÇOCA: Obrigado, meus amigos! Eu encontrei a felicidade que tanto precisava. Vou ler a Bíblia agora mesmo. Tchau! Até breve! 
Margarida e Beto cantam:
A alegria está no coração, De quem já conhece a Jesus 
A verdadeira paz só tem aquele Que já conhece a Jesus 
O sentimento mais precioso Que vem do nosso Senhor É o amor que só tem 
Quem já conhece a Jesus

Fonte: http://estudoscristaos.com/

Teatro com Fantoches - Mentira

MENTIRA TEM PERNA CURTA

Mentira-teatro de fantoches

(Cláudia entra cantando)
CLÁUDIA:  Eu ganhei uma boneca. Que boneca linda! O nome dela é Belinha Ela é muito, ela é muito engraçadinha, ah!
BETO:  Oi, como você está alegre, Claudinha! Que boneca linda!
CLÁUDIA:  Eu ganhei hoje de presente de aniversário.
BETO:  Você faz aniversário hoje?
CLÁUDIA:  Não! Foi ontem.
BETO:  Puxa, que legal! Parabéns! Teve festa no seu aniversário?
CLÁUDIA:  Não. Meus pais não puderam fazer festa, mas estou feliz, porque eles me deram esta bonequinha.
BETO:  É bonita!
PITUCA:  Oi, Claudinha!
CLÁUDIA:  Oi, Pituca!
PITUCA:  Que boneca bonita, Claudinha!
CLÁUDIA:  Ganhei de aniversário.
PITUCA:  Parabéns! Eu queria ganhar uma boneca assim. Trouxe uma corda para a gente pular. Vamos brincar!
(Saem de cena para brincar)
NARRADOR:  E assim saíram para brincar de corda. Claudinha deixou sua bonequinha um pouquinho enquanto brincava com seus amigos. Pituca, vendo que Claudinha se distraíra, foi logo ao encontro da boneca, não resistindo em levá-la para casa, escondido de sua amiga. As horas se passaram, quando já cansados resolveram parar e ir embora. Então...
(Claudinha e Betinho entram procurando a boneca)
CLÁUDIA:  Betinho, cadê a Belinha? A minha bonequinha não está mais aqui!
BETO:  Você tem certeza que deixou aqui?
CLÁUDIA:  Claro, não se lembra? Antes da gente brincar.
BETO:  Deve ter caído.
CLÁUDIA:  Não, ela sumiu. Buá! Buá! Buá!
(Fala chorando)
PITUCA:  O que houve Claudinha? O que está acontecendo?
CLÁUDIA:  Você não viu a minha boneca?
PITUCA:  Eeeuuuuu, eu não Nem peguei!
CLÁUDIA:  Minha mãe vai ficar zangada comigo.
BETO:  Que pena! Mas quem será que pegou? Quem será esse ladrão?!
PITUCA:  Tchau, hein, crianças! Já está tarde, minha mãe está me chamando.
BETO:  Eu também já vou.
CLÁUDIA:  Minha mãe vai me bater.
NARRADOR:  Pituca, muito sem graça, sai apressada. Pudera, ela havia pego escondido a boneca de sua amiga... No dia seguinte... Acordou bem cedinho, pegou logo a bonequinha para brincar e correu para o quintal, onde seus pais não iriam vê-la com uma boneca que não era sua. Betinho resolveu ir à casa da Pituca levar a corda e convidá-la para brincar. A mãe de Pituca mandou que ele entrasse e fosse até o quintal, pois ela já estava brincando lá.
(Entra Pituca brincando com a boneca e cantando)
PITUCA:  Lá, lá, lã, eu agora também tenho uma bonequinha.
BETO:  Oi, Pituca!
(Pituca fica surpresa...)
PITUCA:  Oooi! Bebetinho, você aqui?
BETO:  Pituca! Então foi... foi você quem roubou a boneca da Claudinha!
PITUCA:  Ai, não fale assim Betinho, você é meu amigo, não é? Não fale nada a Claudinha, ta!
BETO:  O quê? Além de fazer uma coisa errada, você quer que eu fique quieto e não fale nada para ela? Você quer esconder esta coisa feia que você fez?
PITUCA:  A boneca é tão linda! Eu não tenho uma boneca, por isso quis ficar com ela.
BETO:  Esta boneca não lhe pertence, e as coisas não são assim. Você não tem uma agora, mas poderá ter. Roubar é pecado. Já pensou se você for presa?
PITUCA:  Presa? Eu? Deus me livre!
BETO:  Mentira tem perna curta! Os olhos de Deus estão em todo lugar a contemplar os maus e os bons. Deus viu o que você fez e está muito triste.
PITUCA:  Puxa, eu não quero que Jesus fique triste. Ele não merece. Não tinha culpa nenhum e morreu por mim na cruz, só para me salvar.
BETO:  E agora você está jogando a sua salvação fora, porque Jesus não gosta do pecado. E, se você não se arrepender e pedir perdão a Deus, continuará com esse pecado.
PITUCA:  Eu estou arrependida. Preciso pedir perdão a Deus e a Claudinha. É, mentira tem perna curta! Mas estou com vergonha, Betinho.
BETO:  Vamos lá! Eu te ajudo, eu vou com você. É melhor você confessar o seu erro. Como você viverá com esse pecado?
PITUCA:  Ta bom, vamos!
(Saem de cena)
NARRADOR:  Pituca, muito triste e envergonhada, decide ir logo à casa de Claudinha devolver a boneca, junto com seu amigo Beto.
(Betinho e Pituca entram em cena e se encontram com Cláudia na casa dela)
CLÁUDIA:  OLÁ! Não posso sair, estou de castigo porque perdi a Belinha.
PITUCA:  Buá! Buá! Buá! Eu vim aqui por causa disso.
CLÁUDIA:  O que houve?
PITUCA:  Fui eu que peguei a bonequinha escondida.
CLÁUDIA:  Ora, então foi você?!
PITUCA:  Sim, perdoa-me Eu queria uma boneca. Não tenho nenhuma, por isso fiquei encantada com a sua e a levei para casa. Mas a mentira tem perna curta! Betinho chegou lá e me pegou no flagra. Eu me arrependi. Não quero perder a minha salvação. Pequei contra Deus e quero pedir perdão a você.
CLÁUDIA:  Ai! Que bom que a minha boneca apareceu! Não fique triste, Pituca, eu te perdoo, mas não faça mais isso. Quando você quiser um pouquinho, eu te empresto.
BETO:  Viu, Pituca, agora Jesus está feliz. Que bom! Não se esqueça de que os olhos do Senhor estão em todo lugar a contemplar os maus e os bons.
CLÁUDIA:  Entrem! Vamos!
NARRADOR:  E assim aprendemos que a mentira tem perna curta e que não podemos esconder nada, pois Deus tudo vê. Pituca se arrependeu e Claudinha fez uma surpresa para PITUCA:  pediu a seus pais para comprarem uma boneca para ela no dia do seu aniversário. Ela ficou muito feliz! Como Jesus é bom!
Fonte: Web