segunda-feira, 19 de outubro de 2015

O Servo Ingrato

O foco desta parábola que é encontrada em Mateus 18:21-35 é o perdão. É dado o exemplo de um rei que foi piedoso com seu servo, e este servo não mostrou piedade com seu conservo, fazendo indignar-se outros conservos e o rei.

Hora da História:
Um dia Pedro preocupado chegou perto de Jesus e perguntou: – Senhor, quantas vezes devo  perdoar o meu irmão que peca contra mim? Sete vezes?
-Não! – respondeu Jesus. – Você não deve perdoar sete vezes, mas setenta vezes sete, ou seja 490 vezes! – E Jesus estava se referindo a uma mesma ofensa. Ou seja que por dia a gente deve perdoar infinitamente.
Talvez Jesus, vendo a cara de assustado de Pedro, contou uma parábola para que ele pudesse compreender a importância e as conseqüências de não perdoar.

História bíblica - O credor incompassivo

Certo homem devia uma grande soma de dinheiro ao rei. Um dia, quando o rei estava examinado suas contas, notou o nome desse homem que lhe devia muito, muito dinheiro e mandou chamá-Io. 
O rei então disse ao homem:


- Veja essas contas, a sua dívida está muito grande. Já ultrapassa a dois milhões de moedas de prata.
O empregado, humildemente, explicou:
- Meu rei, perdoe-me, mas eu não tenho dinheiro suficiente para lhe pagar!
O credor incompassivo - História bíblica

E o rei lhe respondeu:
- Que sejam vendidos os seus filhos e a sua esposa como escravos, sua casa e tudo o que você tem para que possa pagar o que me deve!
O homem, muito assustado, ajoelhou-se diante do rei e disse:
- Tenha paciência comigo, meu Senhor, e eu lhe pagarei tudo!
O rei, sabendo que o homem não tinha como pagar uma dívida tão grande nem que vendesse tudo, esposa, filhos, casa, enfim, tudo o que possuía, teve pena dele e o perdoou.
- Vá, em paz, para a sua casa, disse o rei. - Eu vou perdoar a sua dívida. Não se preocupe. Você não me deve mais nada!
O empregado levantou-se feliz. Saiu da presença do rei e foi para casa para contar o que havia acontecido.
No caminho de casa, ele encontrou um amigo de trabalho que lhe devia cem moedas de prata. Ele pegou este companheiro pelo pescoço, sacudiu-o e disse:
Pague o que me deve!
O servo ingrato - História bíblica

Então o seu companheiro ajoelhou-se ali na rua mesmo, diante dele e suplicou:
- Tenha paciência comigo, aguarde um pouco e eu lhe pagarei tudo!
Esse homem, porém, não concordou. Mandou pôr o companheiro na cadeia até que ele arrumasse o dinheiro para pagar a dívida.
Quando os outros empregados viram o que esse homem havia feito, ficaram muito revoltados e foram contar ao rei. O rei, indignado, mandou chamar aquele empregado e lhe disse:
- Você é um empregado mau! Você me devia milhões em prata. Pediu que eu tivesse misericórdia de você e eu lhe perdoei tudo o que você me devia. Da mesma maneira, você deveria ter pena do seu companheiro que lhe devia apenas cem moedas de prata.
O rei ficou muito zangado e mandou o servo ingrato para a prisão a fim de ser castigado até que pagasse a dívida, como ele havia feito com o seu companheiro.
 História bíblica - O servo ingrato

Jesus terminou de contar essa história dizendo:
- É isso que o Meu Pai, que está no Céu, vai fazer com vocês, se cada um não perdoar sinceramente o seu irmão. 



Jesus nesta parábola ensina que o perdão divino, embora seja concedido graciosamente ao pecador arrependido, é, também, ao mesmo tempo condicional, de conformidade com a disposição do indivíduo, de perdoar ao seu próximo. Por isso, uma pessoa pode ficar sem perdão divino por ter um coração cheio de amargura, que não perdoa ao próximo.