terça-feira, 10 de novembro de 2015

A Parábola do Filho Pródigo

O FILHO PRÓDIGO (Lucas 15. 11-32)   

Certo homem tinha dois filhos. O mais novo deles disse ao pai : Pai, quero a minha parte da herança. E ele repartiu sua propriedade. 
O FILHO PRÓDIGO

Passados não muitos dias, o filho mais novo, ajuntando tudo o que era seu, partiu para uma terra distante e lá desperdiçou  todos os seus bens, vivendo irresponsavelmente. Depois de ter gasto tudo, sobreveio àquele país uma grande fome, e ele começou a passar necessidade. Então, ele foi empregar-se a um dos cidadãos daquela terra, e este o mandou para os seus campos cuidar dos porcos.
Ali, desejava ele comer da lavagem que os porcos comiam; mas ninguém  lhe dava nada.
Então, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm  pão com fartura, e eu aqui morro de fome!
Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai pequei contra o céu e diante de ti;  já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores;  E, levantando-se , foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou.
O FILHO PRÓDIGO - história bíblica


E o filho lhe disse : Pai, pequei contra o céu e diante de ti ; já não sou digno de ser chamado teu filho.-
 O pai, porém, disse aos seus servos:
Tragam depressa a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e sandálias em seus pés. Tragam o novilho gordo e matem-no. Vamos fazer uma festa e alegrar - nos. Porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado. E começaram a alegrar-se.
A Parábola do Filho Pródigo

Ora, o filho mais velho estava no campo; e, quando voltava, ao aproximar-se da casa, ouviu a música e as danças. Chamou um dos criados e perguntou-lhe que era aquilo.  E ele informou: veio teu irmão, e teu pai mandou matar o novilho gordo, porque o recuperou com saúde.
Ele ficou com muita raiva e não queria entrar, saindo, porém, o pai procurava conciliá-lo. Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos  que te sirvo sem jamais desobedecer a uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; Vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com mulheres, tu mandaste matar para ele um novilho gordo!

Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu. Entretanto, era preciso que festejássemos e nos alegrássemos, porque esse  teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.