quarta-feira, 10 de maio de 2017

Peça Teatral - A VERDADEIRA MÃE

A VERDADEIRA MÃE

dia das mães

BASEADO
EM I REIS 3: 16-28

PERSONAGENS: Narrador, Salomão, Mulher 1, Mulher 2; Guarda 1;Guarda 2.
CENA 01: Salomão dormindo.

NARRADOR: Salomão, Salomão.
SALOMÃO: ( Assustado) Quem está falando? O que queres?
NARRADOR: O Senhor Deus de Jacó, Deus de seu pai Davi e quem te fala.
NARRADOR: Salomão, pede-me o que queres e eu te darei.
SALOMÃO: Senhor, meu Deus, a mim fizeste reinar no lugar de Davi, não passo de uma criança e não sei como conduzir-me. O povo é grande, tão numerosos que não se pode contar, dá-me pois um coração sábio para julgar teu povo com justiça.
NARRADOR: Já que pediste sabedoria e não riquezas, nem longa vida e nem a morte dos teus inimigos, dou-te coração sábio e inteligente e o que não pediste eu também te dou riqueza e glória. E se andares nos meus caminhos e guardares os meus estatutos e os meus mandamentos prolongarei os teus dias na terra
SALOMÃO: Obrigado meu Deus e Senhor. (Salomão acorda do sono)
CENA 02: ( Na casa das mulheres) Duas mulheres dormindo, uma dorme em por cima do filho e o mata, então ela troca o filho. A outra acorda e ao dar de mamar para o filho percebe o ele está morto e que ele foi trocado, começa a chorar e chama a outra mulher e fala que o filho é dela, então começa a discussão.
MULHER 1: Vamos resolver este assunto com o rei
MULHER 2: Isso mesmo, o rei resolverá.
CENA 03: ( No palácio do rei) As duas vem discutindo ( O filho é meu....).
Salomão está escrevendo e pergunta:
SALOMÃO: Guarda verifique o que está acontecendo, não estou conseguindo me concentrar
MULHER 1: Queremos falar com o rei Salomão.
GUARDA 1: Espere aí, vou ver se ele pode atendê-las.
GUARDA 1: Rei, tem duas mulheres querendo falar com você.
SALOMÃO: Pois bem. Mande-as entrar.
GUARDA 1: Entre para falar com o Rei.
MULHER 1 e MULHER 2: Ele pegou meu filho, é mentira....
SALOMÃO: Pare! uma de cada vez, você primeiro.
MULHER 1: Ah! Senhor meu, eu e esta mulher moramos na mesma casa, onde dei luz a um filho, três dias depois ela teve um filho. De noite o filho dela morreu porque deitara sobre ele. Ela levantou-se de madrugada e trocou as crianças. Quando fui dar de mamar para o meu filho percebi que ele estava morto e vi que não era meu filho.
MULHER 2: Ela está mentindo, este filho é meu.
MULHER 1: O filho é meu...
SALOMÃO: ( em pé) Você diz que este filho é seu ( apontando para a mulher 1) Você diz que é seu ( apontando para a mulher 2). De fato uma de vocês é a verdadeira mãe. Guarda, tive uma ideia, tragam-me um espada Divida a criança ao meio, daí a metade a uma mulher e a outra metade para a outra mulher.
MULHER 1: Não senhor, se é para matá-lo, de o meu filho para ela, é melhor ele vivo do que morto, por favor não o mate por favor ( com clamor).
MULHER 2: Divida-o sim meu rei, nem de o filho para mim e nem para ela.
SALOMÃO: Guarda daí está criança a esta mulher (mulher 1), porque de fato ela é a verdadeira mãe e quanto a esta outra ( mulher 2) prenda-a, pois, ela é impostora.
MULHER 1: Obrigado meu rei por julgar meu caso com justiça.
NARRADOR: Todo o Israel ouviu a sentença que o rei havia proferido e todos tiveram profundo respeito ao rei, porque havia nele sabedoria de Deus para fazer justiça.

NARRADOR: Aquela mãe amava tanto aquele filho que fez a escolha de quem ama de verdade: ela não pensou em si além do que era conveniente (Rm 12:3) e nem no sofrimento que teria. Diante das circunstâncias, ela optou pela perda e sofrimento para que a criança vivesse.

O amor verdadeiro é naturalmente generoso.








Fonte: retirada da net